A pecuária brasileira passa por momento inédito, delicado, mas tem tudo para dar a volta por cima

0

No dia Nacional da Pecuária , crise promovida pela demora na volta das compras chinesas domina debate sobre o setor

Nesta quinta-feira, 14 de outubro, comemora-se o Dia Nacional da Pecuária, atividade essa que é essencial para o desenvolvimento do nosso país. O Notícias Agrícolas promoveu um debate sobre o mercado pecuário com o  Consultor de Agronegócio do Itaú BBA, César de Castro Alves e com o pecuarista do estado de Minas Gerais, Paulo Henrique Queiroz. 

O pecuarista do estado de Minas Gerais, Paulo Henrique Queiroz, destacou que preferiu negociar com os frigoríficos sem premiação quando surgiram as informações da vaca louca. “Antes da informação da doença da vaca louca a rentabilidade não era das melhores, por isso eu decidi ir negociando aos poucos para não ficar no prejuízo. No entanto, a minha realidade não é igual a de outros produtores”, afirmou. 

O Consultor de Agronegócio do Itaú BBA, César de Castro Alves, reportou que as indústrias que operam no mercado interno estão conseguindo uma melhor rentabilidade frente aos frigoríficos que atuam na exportação. “Como os preços da carne ainda não recuaram no mercado doméstico, as indústrias estão conseguindo uma rentabilidade melhor”, comentou. 

Com relação aos investimentos, Queiroz apontou que pretende aumentar a área cultivada com a primeira safra de milho na propriedade. “Eu decidi que vou plantar uma safra 3 vezes maior que a do ano passado, pois eu acho que tem muitas áreas com soja e vou colher o milho para fazer silagem”, disse o pecuarista. 

Do lado da demanda chinesa, a estimativa é que a retomada das compras chinesas podem exigir remanejamento das indústrias frigoríficas. “Eu não acredito que a volta da China às importações de carne bovina brasileira vai trazer aumento de preços para a arroba bovina. Porém, quando os embarques retomarem vai trazer um alívio para o mercado pecuário”, disse Castro Alves. 

Na região de Minas Gerais, as referências para arroba estão próximas de R$ 255,00/@ e os negócios estão ao redor de R$ R$ 270,00/@ em São Paulo. “Enquanto essa situação se perdurar vamos seguir com os preços pressionados e podemos ter mais quedas nos preços dos animais”, informou o consultor do Itaú BBA.

Fonte: Notícias Agrícolas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui